Ultima atualização: 23 de junho de 2021

Vista como vilã por alguns e heroína por outros, a chupeta é um daqueles itens polêmicos do enxoval, e é sobre ela que vamos falar no guia de hoje. Vamos abordar seus benefícios, riscos, diferentes modelos e te ajudar a decidir qual a melhor chupeta para o seu bebê.

Se você está em busca de fazer a melhor escolha, queremos te fornecer todas as informações essenciais para que, por conta própria, você possa tomar essa decisão. Fique conosco até o fim desse guia!




Primeiro, o mais importante

  • A chupeta pode provocar o desmame, por outro lado, reduz o risco de morte súbita. Com esse guia, queremos trazer as informações necessárias para que você possa decidir se é a melhor escolha para o seu bebê.
  • A chupeta mais indicada é a ortodôntica. Ela imita o formato do mamilo da mãe, tentando reproduzir a sensação da mamada. Ela se adapta ao movimento natural da língua.
  • O ideal é que, até os dois anos do bebê, a chupeta seja removida gradualmente. Venha entender mais.

Melhor chupeta: nossas indicações

Selecionamos chupetas de diferentes tipos para que você possa decidir a melhor para o seu bebê. Compare:

Guia de compra: tudo o que você precisa saber sobre as melhores chupetas

As chupetas são chamadas de pacifier em inglês, que significa “pacificador”. Esse termo faz referência a forma como elas acalmam as crianças. Nossa missão com esse texto não é te convencer do uso, nem te fazer desistir. Queremos apenas trazer informações para que você tenha o poder de decisão.

Vamos juntas?

Imagem de um bebê segurando uma naninha e chupando bico

Em inglês a chupeta é chamada de “pacificador”, pelo seu poder calmante. Fonte: Sharon McCutcheon / Unsplash.com

Quais os benefícios e os riscos da chupeta?

No seu primeiro ano de vida, a criança tem uma grande necessidade de sucção. Esse é, na verdade, um reflexo de sobrevivência dos bebês, importante para seu desenvolvimento psíquico.

Essa sucção promove a liberação de endorfina, hormônio responsável por trazer bem-estar ao bebê. Por esse motivo, especialistas têm recomendado a amamentação em livre demanda, já que o peito também serve como aconchego.

Alguns pais escolhem introduzir o bico para suprir essa necessidade de sucção da criança. O seu uso tem benefícios e riscos que precisam ser considerados antes de tomar essa decisão. Vamos entendê-los:

Riscos

  • A chupeta, por ser um bico artificial - assim como a mamadeira -, pode causar confusão de bico e levar os desmame, já que a criança pode apresentar dificuldade de mamar no seio materno. Especialistas pedem que os pais esperem pelo menos 30 dias de amamentação sem uso de outros bicos.
  • A sucção em um bico artificial pode provocar alguns problemas. A chupeta pode afetar negativamente na mastigação, fala, respiração e dentição.
  • De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), crianças que usam chupeta têm mais chances de desenvolver otite.
  • Pode trazer problemas de socialização. Quando a criança faz uso prolongado da chupeta, ela pode deixar de interagir, brincar e conversar com os pais e demais familiares.
  • Por fim, ainda segundo a SBP, existe relação do uso prolongado da chupeta com a chance de se tornar um adulto com outros vícios orais, como fumar e comer compulsivamente.

Benefícios

  • Como vimos, ela supre a necessidade de sucção do bebê, trazendo conforto e bem-estar quando a mãe não pode oferecer o peito. Por esse motivo, bebês que usam a chupeta podem sofrer menos situações de estresse, ou ficarem mais calmos em momentos de tensão.
  • Especialistas apontam que crianças que usam chupeta para dormir têm menos chances de sofrerem da Síndrome da Morte Súbita do Lactente, situação em que bebês menores de um ano morrem dormindo sem causa aparente ou explicação médica.
Atenção: Usar a chupeta não significa que o bebê vai obrigatoriamente passar por todos os riscos e benefícios. Algumas crianças chupam o bico e continuam mamando sem dificuldade alguma, por exemplo.

Chupeta ortodôntica é a melhor?

Sim e não. Na verdade, a chupeta ortodôntica continua oferecendo os mesmos riscos. A grande diferença está na gravidade deles. Digamos que os danos causados pela chupeta ortodôntica são menores. Portanto, atualmente, essa é a melhor chupeta a ser oferecida para o bebê.

O bico dessa chupeta favorece o correto posicionamento da língua por conta de uma inclinação diferencial. Outra característica é a base achatada, evitando que os lábios se distanciem. Esse formato é menos prejudicial para a arcada dentária.

Como fazer o melhor uso da chupeta?

Está cansada e a chupeta pode ser o calmante que você precisa? Existem algumas dicas para que você faça um uso cauteloso da chupeta. A primeira delas é aguardar ao menos a amamentação estar bem estabelecida, geralmente após o primeiro mês de vida do bebê.

Tenha mais de uma e ofereça intercaladamente para o bebê.

Depois disso, evite deixar a chupeta direto na boca do seu filho. Oferece em momentos estratégicos, como na hora de adormecer. Assim que o bebê pegar no sono, retire a chupeta.

Tente usar o mínimo possível. Durante outros momentos do dia, como algum período de estresse, tente confortar o bebê - especialmente os maiores - de outras formas, como colo, alguma naninha ou mesmo amamentação.

E claro, a chupeta deve estar sempre higienizada para evitar infecções pelo seu uso. Por fim, tenha mais de uma e ofereça intercaladamente para o bebê não pegar o vício e criar apego por uma chupeta específica.

Com que idade a criança deve deixar de usar a chupeta?

Para que os ricos sejam menores possíveis, e consequentemente a criança sofra menos os possíveis danos, a chupeta deve ser largada por completo até os dois anos de idade. Sendo assim, os pais podem fazer essa redução de uso gradualmente, até que chegue o momento de não oferecer mais.

Menina chupando bico rosa

O bico deve ser deixado de forma gradual até os dois anos. Fonte: Jorge Barros / Unsplash.com

Parece simples na teoria, porém bastante difícil na prática. Se você optou pela chupeta, não se culpe. Muitas vezes oferecer a chupeta pode ser a melhor solução que os pais - quem deve decidir - tiveram para aquele momento. Porém, ainda há tempo de reverter seu uso. Selecionamos dicas para te ajudar na missão de tirar a chupeta da criança:

  1. Converse com seu filho e combine condições. As crianças maiores de um ano já podem começar a entender certas limitações. Explique que a chupeta é um acessório que deve ser usado apenas para dormir, por exemplo. Outra forma de restringir é explicar que se usa apenas em casa.
  2. Quando seu filho pedir pela chupeta, distraia com outra coisa mais interessante. Dificilmente uma criança vai recusar um convite para uma brincadeira divertida.
  3. Troque a chupeta por outro conforto. Tente mostrar ao seu bebê que existem outras formas de aconchego. Seja colo, ofereça carinho, conte uma historinha e ainda apresente outro objeto que a criança goste, como uma pelúcia ou naninha.
  4. Estabeleça uma meta com seu filho. Dê um tempo para que ele vá se desprendendo desse objeto. Depois de reduzir gradualmente, sugira uma troca definitiva. Que tal algo que a criança deseja muito? E não precisa ser um brinquedo. Um passeio interessante pode conquistar seu filho.

Atenção: Depois de remover a chupeta por completo, não devolva mais a criança. Seja firme na decisão. Quando ele pedir, distraia com algo interessante. Assim seu filho aprende que ele também é capaz de superar alguns desafios.

Critérios de compra: O que levar em conta ao comparar diferentes tipos de chupeta

Já tomou sua decisão? Se você decidir pelo uso dela, queremos trazer algumas dicas finais que podem facilitar o dia a dia. Confira alguns critérios para saber escolher a melhor chupeta:

Tipo de bico

Obviamente os modelos mais recomendados são os bicos de silicone, deixando no passado as antigas chupetas de látex, que tinham uma textura super fina e mole. Mas mesmo as chupetas ortodônticas podem ter uma pequena diferença no formato.

O ideal é que o bico seja fino e côncavo, apontando para cima. Assim haverá espaço para a posição natural na língua.

Material

Algumas chupetas são 100% feitas de silicone flexível, outras têm bico de silicone e o escudo de um plástico mais rígido. Não existe o melhor material, e sim aquele que o bebê se adapta. Apenas certifique-se de escolher uma chupeta livre de Bisfenol A (BPA) e que tenha aprovação do Inmetro.

Ainda, perceba se a chupeta é feita de uma material e formato que favorecem a higienização. Nesse quesito os bicos totalmente de silicone saem na frente, pois não possuem locais para acumular sujeira.

Tamanho

É preciso respeitar o tamanho de acordo com a indicação do fabricante. As chupetas são divididas em numerações que correspondem aos meses do bebê. Essa informação é facilmente encontrada na embalagem.

Bebê de bruços com chupeta na boca

A chupeta deve ser comprada de acordo com a idade indicativa do fabricante. Fonte: Keira Burton / Pexels.com

Diferenciais

Por fim, se atente aos diferenciais estéticos e funcionais da chupeta. Algumas podem não ter argola para fixação de prendedores, outras podem brilhar no escuro ou ainda virem acompanhadas de uma capinha de proteção. Quais desses detalhes são importantes para você? Talvez todos. Escolha pela sua preferência.

Resumo

A chupeta serve para acalmar o bebê. O modelo mais indicado é o ortodôntico. Se você optar pelo seu uso, saiba que é preciso respeitar a numeração de acordo com a idade da criança. Ainda, tente diminuir o uso até que aos dois anos ela tenha deixado a chupeta de vez.

Esse é um daqueles itens amado ou odiado do enxoval. De qual time você é? Divida suas experiências com a chupeta nos comentários abaixo. Essa troca pode ajudar outras mães nesse espaço que é pensado para vocês!

(Fonte da imagem destacada: Sharon McCutcheon / Unsplash.com)

Por que você pode confiar em mim?

Resenhas