Elefante de linho para bebê
Ultima atualização: 25 de junho de 2021

Como escolhemos

20Produtos analisados

16Horas investidas

3Estudos avaliados

63Comentários coletados

Fazer o bebê dormir é um dos desafios dos pais, especialmente tirá-lo do colo sem despertá-lo. A naninha de bebê é um pano ou bichinho que tem como objetivo ajudar nesse momento, oferecendo segurança e aconchego, por isso também é conhecida como objeto de transição.

Venha conosco que vamos te mostrar como usar, quando tirar e também apresentar diferentes tipos!




Primeiro, o mais importante

  • A naninha de bebê existe há muito tempo. Na verdade, antigamente as mães usavam um pedaço de pano ou a própria blusa com o intuito de fazer o bebê se sentir seguro.
  • Hoje em dia ela pode ser feita de diferentes materiais, como crochê, plush, tecido, entre outros.
  • Embora existam modelos prontos, a naninha pode ser qualquer objeto que a criança crie apego, até mesmo uma manta, travesseiro ou bichinho de pelúcia.

Melhores naninhas de bebê: nossas recomendações

Paninho, bichinho ou uma mistura dos dois. Assim é a maioria das naninhas de bebê no mercado. Selecionamos os modelos com melhor avaliação, atestados pelas mães. Veja:

Guia de compra: tudo o que você precisa saber sobre naninhas de bebê

Muitos bebês choram ao serem colocados no berço porque sentem falta do toque da mãe ou do pai. A naninha serve justamente para reproduzir esse toque, oferecendo segurança para que ele faça sua soneca tranquilamente, mesmo fora do colo.

Venha aprender como usar a naninha ao longo desse guia que preparamos para você.

Imagem de mãe colocando filha para dormir com sua naninha

A naninha também é usada por crianças maiores. Fonte: Cottonbro / Pexels.com

Para que serve a naninha de bebê?

A naninha é um objeto de transição que tem como objetivo reproduzir a sensação de toque dos pais, trazendo mais segurança para o bebê dormir sem estar no colo.

É comum que a criança desperte ao ser colocada em seu berço. Com o uso da naninha, a intenção é que o bebê não perceba que está saindo do colo dos pais.

Justamente por ser oferecida nesses momentos, é normal que a criança crie apego a naninha. Porém, alguns bebês não aceitam o objeto, o que também é natural.

Portanto, o objeto transcende o objetivo inicial e serve para oferecer suporte emocional em outros momentos difíceis, como adaptação na creche.

A naninha de bebê não é, na verdade, um produto específico, e sim qualquer objeto que a criança se apegue na finalidade de se sentir segura. Pode ser uma pelúcia, uma manta ou mesmo um travesseirinho.

Vantagens
  • Traz segurança e aconchego
  • Reduz ansiedade na ausência da mãe
  • Ajuda na adaptação na creche
Desvantagens
  • Não deve ser deixada com bebês menores de um ano sem supervisão de um adulto

De qualquer forma, vale ressaltar que a naninha não deve ser deixada com bebês menores de um ano sem que estejam sendo supervisionados. A criança pode puxar a naninha para o rosto e apresentar dificuldade para remover, especialmente os menores de seis meses, sofrendo risco de sofrer de asfixia.

Como usar a naninha?

A regra aqui é paciência. O apego pela naninha é desenvolvido aos poucos, e não da noite para o dia como as mães gostariam.

Ela pode ser oferecida desde as primeiras semanas de vida, desde que com supervisão, como mencionado anteriormente. Alguns bebês levam meses para criar vínculo com o objeto.

Outro detalhe é que oferecer naninhas demais pode atrapalhar o apego com uma específica. Por outro lado, forçar uma única opção pode ser ruim caso o bebê não se sinta seguro com aquela. Portanto, uma maneira interessante é ter duas opções bem diferentes uma da outra.

A partir daí, siga essas dicas:

  1. Durma com a naninha algumas noites antes de oferecer para a criança. O cheiro de mãe funciona na maioria dos casos. E esse é justamente o motivo pelo qual a criança se apega ao objeto.
  2. Peça para outra pessoa oferecer a naninha para o bebê. Talvez sob cuidado do pai ou da avó, por exemplo, ela aceite melhor esse objeto para “substituir” a presença da mãe.
  3. Inclua a naninha no ritual do sono noturno e das sonecas. Quando a criança perceber que a naninha pertence ao momento de dormir, ela vai criar mais apego. Seja no carrinho, no colo, ou na cama, deixe a naninha sempre próxima da criança. Apenas lembre-se de tirar da criança para o sono da noite depois que ela adormecer, já que não haverá supervisão constante.
  4. Não force nenhuma interação. Deixe a naninha sempre por perto, porém, nunca obrigue a criança a segurar ou deixe perto do rosto do bebê sem que ele se sinta confortável. Esses comportamentos vão provocar o efeito contrário.

Posso lavar a naninha do meu bebê?

Sim. Na verdade você deve!

Talvez você esteja pensando: “mas e o cheiro da mãe? não vai sumir?”

A dica de dormir com a naninha para que ela fique com o cheiro da mãe serve apenas para o início, com o intuito de facilitar o vínculo entre o bebê e o objeto. Depois que o apego está estabelecido, a criança não precisa mais do cheiro materno nela.

Portanto, lave regularmente, de acordo com a orientação do fabricante, a naninha do seu bebê.

Importante: Tenha duas naninhas iguais e reveze seu uso semanalmente, podendo fazer a lavagem de uma enquanto a outra está em uso. A ideia é que elas fiquem desgastadas iguais, sem que o bebê perceba que se trata de duas naninhas diferentes. Essa dica também salva as mães em situações em que a naninha foi esquecida em algum lugar.

Quando devo tirar a naninha?

De forma geral, a criança está pronta para começar a desapegar do objeto a partir dos dois anos. Mas isso pode variar dependendo do grau de vínculo estabelecido. Em alguns casos, isso pode acontecer perto dos cinco anos, ou mais.

É importante respeitar o tempo do seu filho. Mas, se você perceber que o apego ultrapassou uma relação saudável com o objeto, converse com o pediatra ou psicólogo infantil.

Bebê com toquinha bocejando ao lado de ursinho

Assim como leva tempo para criar o vínculo, a criança pode demorar a desapegar da naninha. Fonte: Minnie Zhou / Unsplash.com

Critérios de compra: O que levar em conta ao comparar diferentes tipos de naninha de bebê

Algumas crianças não criam apego pela naninha, isso também é natural. De qualquer forma, as que se acostumam com o objeto de transição ficam mais tempo no berço durante a soneca. Decidida a tentar a naninha com seu bebê? Então temos algumas dicas finais:

Tipo

Existem naninhas de diferentes tipos. Como vimos, na verdade, nem precisa ser uma naninha específica, e sim o objeto que o bebê se sinta seguro. Nesse caso, até um travesseirinho pode cumprir esse papel.

Entretanto, existem modelos diferentes, como paninhos, almofadas ou bichinhos. Uma dica legal é que a naninha tenha certo volume. Isso facilita a aceitação. Os bebês também costumam gostar de naninhas em que eles podem segurar os bracinhos e as perninhas, por exemplo.

Material

As naninhas podem ser feitas de crochê, linho, plush, cetim, fralda ou diversos tipos de tecido. As de toque mais suave são as mais gostosas de abraçar, também as que os bebês costumam aceitar mais facilmente.

Porém, não há uma regra quando consideramos o gosto de cada criança. Lembre-se da dica de oferecer duas opções bem distintas para que o bebê possa escolher.

Segurança

Esse é um critério primordial. Não ofereça naninhas que possuam objetos costurados, como botões ou miçangas para reproduzir o nariz ou olho dos animaizinhos. Esses itens podem se desprender e o bebê acabar engolindo, se tornando altamente perigoso.

O mesmo vale para naninhas que possuem brinquedos acoplados. Certifique-se de que eles são seguros o suficiente.

Bebê recém nascido dormindo com ursinho sobre ele

Olhos e focinhos devem ser feitos com linha e não botões. Fonte: Laurie Gouley / Unsplash.com

Funcionalidades extras

Algumas naninhas possuem funções extras. Elas podem ter chocalhos, mordedores ou mesmo lugares para prender as chupetas. Embora sejam elementos a mais, alguns bebês adormecem sozinhos enquanto brincam com a naninha. Apenas lembre-se de levar a segurança em consideração na escolha desse tipo de naninha.

Resumo

A naninha de bebê serve para reproduzir o toque dos pais, com o intuito de prolongar a soneca do filho mesmo quando ele não está no colo. Dessa forma a criança se sente mais segura, evitando despertares quando é colocada no berço.

Embora seja um aliado dos pais, a naninha não deve ser deixada com o bebê sozinho, é preciso supervisão, sob risco de causar asfixia. Esperamos ter te ajudado a compreender o que é esse objeto. Tem alguma experiência com as naninhas? Compartilhe nos comentários abaixo!

(Fonte da imagem destacada: Karolina Grabowska / Pexels.com)

Por que você pode confiar em mim?

Resenhas