Imagem de uma placa escrito happy hormones ao fundo de uma tigela
Ultima atualização: 14 de junho de 2021

A menopausa é um período difícil na vida da mulher. Ela chega bagunçando os hormônios e alterando a qualidade de vida. Para ajudar nessa situação, é possível optar por uma reposição hormonal natural ou sintética. Quer aprender mais?

Seja bem-vinda. Siga conosco para aprender sobre a reposição dos hormônios que começam a cair muito com a chegada do climatério.




Primeiro, o mais importante

  • A reposição hormonal pode ser natural ou sintética. A primeira se baseia na medicina natural, através dos alimentos, a qual vamos conversar ao longo desse artigo.
  • Alimentos ricos em fitoestrogênios ajudam na reposição hormonal natural, já que possuem compostos semelhantes aos estrogênios dos humanos. Assim, fazem um papel parecido no organismo.
  • A soja é um desses alimentos que deve fazer parte da dieta de quem busca uma reposição hormonal natural. Conheça aqui outros alimentos.

Aprenda a fazer a reposição hormonal de forma natural

Embora ela não atue diretamente na raiz do problema como os tratamento com hormônios sintéticos, a reposição hormonal natural, também chamada de fitohormônios, é sem contraindicações.

Se você está sentindo os sintomas da menopausa, saiba que quanto antes apostar nessa reposição, melhor vai ser a passagem pelo climatério.

Imagem mostra copo com grãos de soja derramados

A soja é um dos alimentos indicados para ingestão na reposição hormonal natural. (Fonte: engin akyurt / Unsplash.com)

Reposição hormonal natural x sintética

A reposição hormonal consiste em repor os níveis de estrogênio e de progesterona no organismo, com o objetivo de aliviar os sintomas da menopausa.

A reposição hormonal natural visa buscar nos alimentos de hormônios semelhantes aos femininos.

Na sua forma mais comum, se chama Terapia de Reposição Hormonal (TRH). Nesse tratamento o médico prescreve hormônios de origem sintética que sejam bioidênticos - mesma estrutura química e molecular - aos humanos.

Esse tratamento deve ser sempre indicado por um médico ginecologista ou endocrinologista, já que possui algumas contraindicações.

Já a reposição hormonal natural visa buscar nos alimentos de origem vegetal hormônios que desempenham atividades semelhantes a dos hormônios femininos. Eles são chamados de fitohormônios. Um dos compostos mais buscados nesses alimentos é a isoflavona, que já se mostrou favorável para aliviar os sintomas do climatério em alguns estudos (1).

Tipos de reposição hormonal natural

A ingestão de fitohormônios pode ser feita através de uma dieta que possua alimentos ricos em fitoestrogênio ou mesmo por meio de suplementação.

Em ambos os casos, o acompanhamento médico é indispensável. Ginecologista, endocrinologista e nutricionista podem ajudar na reposição hormonal natural. É importante ressaltar que todo excesso, mesmo que por alimentos naturais, pode trazer consequências para a saúde.

Você sabia?
Alimentos ricos em fitoestrogênio também atuam positivamente no alívios dos sintomas pré-menstruais.

Benefícios da reposição hormonal natural

Apostar na reposição hormonal natural apresenta diversos benefícios, especialmente se ela for comparada com a TRH, que possui contraindicações e risco de causar trombose. Melhor ainda se a ingestão dessas substâncias for feita através de uma dieta rica nesses alimentos. Conheça todas as vantagens dos fitoestrogênios para o organismo:

  • Alivia os sintomas do climatério (2) da tensão pré-menstrual;
  • Previne doenças cardiovasculares, reduzindo a formação de coágulos;
  • Pode auxiliar na prevenção de câncer de próstata, mama e útero;
  • Previne diabetes, já que ajuda no controle dos níveis de açúcar no sangue.

Alimentos ricos em fitoestrogênios

Para quem busca essa reposição da forma mais natural possível, selecionamos os 10 alimentos com alta concentração de fitoestrogênio que devem ser incluídos na sua dieta, assim como dicas de ingestão:

  1. Alho: para temperar alimentos;
  2. Amêndoa: pode ser comida crua, em lascas na salada, iogurte ou salada de fruta ou batida em vitaminas;
  3. Amora: como fruta ou vitamina, batida com leite de soja;
  4. Castanha de caju: pode ser comida crua, triturada na salada, iogurte ou salada de fruta ou batida em vitaminas;
  5. Ervilha: cozida para comer como salada ou complemento em outros alimentos;
  6. Grão de soja: pode ser ingerido em forma de leite, iogurte, homus ou mesmo em grãos;
  7. Semente de gergelim: pode ser adicionado na salada, iogurte, salada de frutas ou mesmo em massas de pães integrais;
  8. Semente de girassol: igual a semente de gergelim;
  9. Semente de linhaça: igual a semente de gergelim;
  10. Tofu: cru, cozido, grelhado, refogado, como recheio de torta ou em forma de patê.
    Lentilha, pistache, ameixa seca, azeite, brócolis e repolho também possuem uma boa concentração de fitohormônios.

Mão feminina segurando tigela de amoras

A amora é uma fruta rica em fitoestrogênio. (Fonte: Kristina Paukshtite / Unsplash.com)

Chá rico em fitoestrogênio para incluir na dieta

Para quem gosta de beber chá, a folha de amoreira é perfeita para ser incluída da dieta. Rica em fitoestrogênio, esse chá pode ser bebido ao longo do dia. Basta picar de cinco a sete folhas de amora e adicioná-las em 500 ml de água fervente. Tampe e deixe a infusão acontecer por cerca de 10 minutos. Agora é só coar as folhas e beber o chá quente ou frio.

Alimentos ricos em fitoestrogênio engordam?

Não. A presença desse hormônio nos alimentos não provoca aumento de peso. Se consumidos sem excesso, dentro de uma dieta balanceada, a reposição hormonal natural não engorda.

Resumo

A reposição hormonal natural usa alimentos de origem vegetal como base. A ideia é encontrar hormônios semelhantes aos estrogênios. Eles são chamados de fitoestrogênios e atuam de forma semelhante no organismo.

Esses fitohormônios também podem ser ingeridos através de suplementação. Em ambos os casos é preciso acompanhamento médico. Ginecologista e endocrinologista são especialidades que cuidam dessa alteração hormonal.

(Fonte da imagem destacada: Ava Sol / Unsplash.com)

Referências (2)

1. Estudo da Disciplina de Ginecologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Fonte

2. Estudo de Ana Cláudia Pereira Faria e Francielda Queiroz Oliveira com 40 mulheres na faixa etária entre 40 e 65 anos, cadastradas na Estratégia de Saúde da Família (unidade de prestação de cuidados básicos de saúde), localizada no bairro Trevo do município de Pompéu, Minas Gerais
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Efeitos da isoflavona sobre os sintomas climatéricos e o perfil lipídico na mulher em menopausa
Estudo da Disciplina de Ginecologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Ir para a fonte
FITOESTROGÊNIOS COMO ALTERNATIVA NA TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL NO CLIMATÉRIO
Estudo de Ana Cláudia Pereira Faria e Francielda Queiroz Oliveira com 40 mulheres na faixa etária entre 40 e 65 anos, cadastradas na Estratégia de Saúde da Família (unidade de prestação de cuidados básicos de saúde), localizada no bairro Trevo do município de Pompéu, Minas Gerais
Ir para a fonte
Resenhas